15.7.15

Dois anos do SiM

15.7.15
colorimos
Hoje, foi um daqueles dias em que deitei minhas ansiedades diárias, dormi no seu colo e depois, revivi todo o caminho que trilhamos até aqui. Pensei em todas as chances que a gente se deu, em todas as voltas que nos aconteceram... em todas as rotas que nos carregaram com suas mochilas nas costas. Pensei e nas mesmas perguntas, a minha resposta é sempre a mesma. A minha resposta é você!
Você me veio de surpresa e sem saber, surpreendeu-me os sentidos. Com sua sensibilidade nata, carregava sonhos nas mãos como doces confeitados de um encanto só.
Sem pressa de acontecer, veio me morando numa interno sem ter fim, numa brecha de calor, onde vento era um rodopiar alado. Sabia, como até hoje sabe, me fazer sorrir. Me fazer feliz sem artifícios que não aqueles que nos caem tão bem. Você faz todo dia o meu bem querer encontrar mais de um milhão de motivos pra querer morar aquele olhar de céu que me derruba e me toma, sem questionar. E há tempos que o seu olhar se fez de meu telhado e também me abre janelas pra apreciar o que existe por fora, do melhor de nós... Juntos. SeMpre.
Você é meu beijo, meu desejo mais urgente, mais diário, é meu diário onde nossas diferenças nos complementam e nos transbordam de sincronia. É o meu caminho mais aguardado. Você é o meu futuro de presente, é o que se sente sem palavras quando se fala de amor. Você é a minha cara, a minha sina, meu namorado e depois, meu bem, será aquele com quem me (c)asarei... pra namorar todo dia, com ou sem os pés no chão, mas assim: no nosso 'devido fora de lugar'.

│Samara Bassi│

© 2015. É expressamente proibida a cópia parcial e/ou total não autorizada de qualquer conteúdo deste blog.

Um comentário:

Crônicas de Areia disse...

Sabe aquelas folhas na poça d'água? Aquelas que encontramos num dia de chuva aqui, em Curitiba?
Aquelas folhas estavam lá como um alento para nós. Elas sabiam que passaríamos por lá naquele instante, e assim como nós, elas se aproximaram, aproveitando o pouco de tempo que essa vida nos dá para ficar perto uma da outra.

Muita gente sequer reparou nelas. Alguns até pisaram. Mas foi teu olhar que enxergou o presente que elas estavam dando a nós dois. Você foi a primeira a enxergar beleza naquela cena. Tanto viu que registrou em foto. E se hoje elas vivem, nem que seja num arquivo digital, é porque no momento certo, elas foram amadas pelo olhar de alguém, do seu Samara.

Vivemos tanta coisa nesse pouco tempo em que estamos juntos, não é? Você descobriu que sou um resmungão, um cri-cri, alguém que fala pelos cotovelos, sem paciência, mas também descobriu o tamanho da minha admiração por você, e o quanto te amo, te admiro, te respeito por você ser quem é.

Não mude nunca, a não ser quer VOCÊ queira mudar. Te amo assim, desse jeitinho que só você sabe ser.

Você é minha vida, meu caminho, e as migalhas de pão do caminho, por sorte ou destino, me levaram até você. E olha que irônico. Sempre falamos das pequenezas, não é? E hoje eu digo que foi seguindo as migalhas do caminho que cheguei até você.

Amo você, Samara. Amo demais e quero amar pra SeMpre.

Marcio

Copyright - Quintal de Om © 2012 - 2017. All Rights Reserved to Samara Bassi.