28.4.14

Pequenino embrulho-luz

28.4.14
weheartit
Numa prece sem depressas, tudo se acalma no peito. Ganha o seu lugar, o seu habitar sereno acompanhado de muitos afagos. Quando existe um detalhe querendo se formar perfume de acomodação e já se entalha com risos de Deus, o acontecer é certo. Não tão rara é você, querência que me aconchega por dentro e traz mesmo num choro, o teu pequeno perfume de endro. E de já ter feito de acertos tantos caminhos, eis que adentrou no meu. É que depois de ter sido pássaro, tua vida pousa na minha e já encontra caminho fértil, já germina vontades de berço e abraço pra enfeitar teu pequeno corpo de luz — um pequenino frasco de essencialidades de alma. Clar'alma.

Sei de você um bocado e já te amo um mundaréu! 

Sei lá como é aí, mas aqui, cada vinda de manhã é uma coisinha que anjo assopra no ouvido da gente pra crescer no coração. Se fazer forte. Não é sorte nem milagre, é pequeneza rica pra quem se cabe todinho num traço de sonho e de levezas diárias. E sabe ainda de tantos segredos mais, que o sono é só feitio de anjo, assim feito você, pra te cantar um poema, te rezar na canção o teu balanço de ninar.
Teu cheirinho já é meu singelo balangandã pendurado no varal dos meus dias mais ensolarados que é pra dar sorte. Pra somar mais luz e aquele punhadinho de paz. 


— Sabia que de tão curiosa, veio salpicando cócegas no sentimento? Porque ser claridade é assim, ó: 
— um olhar atento praquilo que Deus posta todos os dias nas suas cartas e remete, somente para olhos brilhantes. 


Eu sei, a vida é ainda um passo pequeno, mas por dentro carrega aquele sopro de ar necessário pra se impulsionar. Teus braços repousam e são mesmo feitos de asas, asas de toda cor. Ah, eu me orgulho tanto de te querer acontecer. De te querer embrulho pequenino e preciso em redes tão bem tecidas de amor. Você é meu amor maior e tão florido. Já é minha primavera farta, ainda sendo tão SeMente guardada de nós. Desse embrulho, respiro um tanto de amor que se torna presente doidinho pra se desembrulhar. E de um mundo todinho claro pra sua chegada, meu coração é quem mais te faz festa e guarda mais de mil beijos batizados, assim,  em teus dedinhos de condão.  


[ah, a sua sutileza existe tão forte num duplo tum-tá! é o que mais me encanta em você. 
e o que me compõe, também. sem complicâncias.]

│Samara Bassi│

© É expressamente proibida a reprodução parcial e/ou total de qualquer conteúdo deste blog sem a autorização do autor. A cópia não autorizada e/ou qualquer outro tipo de uso indevido da obra, implicarão em penalidades previstas na Lei: 9.610/98. Não viole.  — Respeite —

3 comentários:

Kaka Stelê disse...

Samara que delicia de leitura...doce, suave e aconchegante..dá até vontade fazer planos para o futuro :)

É muito bom passar por aqui...
Um Grande Beijo!

Crônicas de Areia disse...

Não. Não era o problema da hora ou do dia. Acho que eu não sabia sequer em qual mês nós estávamos. Um olhar terno, daqueles de encantar luas e selenitas, conversava com meus olhos. Da boca, recontida entre lágrimas e apreços de alegria, escapou um sorriso encabulado, enquanto palavras morninhas e recém concebidas deslizavam para meus ouvidos.

Céus e montanhas deixaram de existir, e uma explosão, como se fosse uma estrela rompendo um canto do universo para se fazer galáxia, estalou em seu ventre. Clara e nítida impressão de vida tomando corpo, ocupando espaço e vencendo sua primeira batalha.

Era o lúdico livro de novas verdades sendo escrito, uma história que de fábula encantou-se e transmutou-se para ventres úmidos de uma vontade ímpar. Um ímpar que fora par e que, finalmente, volta a ser um triângulo. Uma vontade de conceber maçãs para enfeitar o mais suave e delicioso ato de “pecado”. O de se sentir prazer não apenas em unir corpos, mas de moldá-los em nosso gozo tão festejado.

Um aramado de carbono que se formou. Temperos adicionados e originados em nosso suor e coração. Ondas e mais ondas de fluidez de nossas mentes que induziram uma formação crítica instantânea. E para finalizar, as vontades ferrenhas de felicidade que tanto carregamos conosco. O que é isso? Nossa receita para dias e dias de sorrisos incandescentes e contagiosos.

Era ela, dizendo ao mundo para que ele se preparasse. Claramente, terremotos seriam forças menores. Ela estava lá, SeMpre esteve. Só estava esperando a hora certa.

-----------

Eu não conseguiria apenas ler.
Precisei interagir um pouquinho.
Minhas duas meninas sapecas.

Marcio

Déborah Arruda. disse...

Tô emocionada, gente! Que coisa mais grandiosa e bonita. Fiquei aqui na dúvida sobre a veracidade da informação, mas esse olhar em palavras do Márcio ali em cima me tira qualquer rastro de dúvidas. rs
Que seja de infinita luz o caminho da tua pequena!
Meu beijo!

Copyright - Quintal de Om © 2012 - 2017. All Rights Reserved to Samara Bassi.