20.11.13

Arruaça

20.11.13
Google

A poesia, tenho para mim,
que seja uma verborragia inconsequente,
amuleto incandescente,
cadente de germinar nas veias,
nas estrias de um asfalto castigado
como ventre exposto e composto,
o libertino de todo verso atropelado
pelo vão de olhos,
insistentes.

│Samara Bassi│

════════════════════════════════════ § ════════════════════════════════════ 
É expressamente proibida a reprodução parcial e/ou total de qualquer conteúdo deste blog. A salvo, perante solicitação e posterior autorização de seu proprietário, com seus respectivos créditos e o uso do link que direcione para o conteúdo original e correspondente deste blog. A cópia não autorizada implicará em penalidades previstas na Lei 9.610/98 e será denunciada. Respeite.

5 comentários:

Helena Frenzel disse...

Lindo!

Déborah Arruda. disse...

Certamente nunca li melhor definição. Se é que a poesia tem uma.
Beijo, Sam!

Kaka Stelê disse...

Lindo Samara *-*

Um Grande Beijo!

O tempo das maçãs disse...

A poesia pode ser verborrágica, trágica, profunda ou rente, mas tem sempre algo da gente.

Amei!

Beijinhos.

Crônicas de Areia disse...

Engana-se aquele que exige rima em poesia.
A verdadeira poesia, não é lida, e sim, sentida.
A verdadeira poesia não é escrita, e sim, parida.
A verdadeira poesia não tem palavras, mas sim, expressões de verdades que sequer se conhece.
A verdadeira poesia não é rimada, é consequência das dores e amores que se sonha.

Poesia está nos olhos, e não no papel.

Samaraaaaaaaaaa. Que show. Amei.

Marcio

Copyright - Quintal de Om © 2012 - 2017. All Rights Reserved to Samara Bassi.