23.7.13

Clareira

23.7.13

Um universo repleto, inteiro cabe diante dos olhos. Balança no cílio uma acrobacia risonha. Com cores pro amanhã, procuro os alicerces capazes de ancorar um sonho simples, mas grandioso. E vasto. Um cultivo sábio por dentro.

– Traz esse força de certo, de claro. Clareia a rústica vidraça de um olhar, sem que haja cercas que podem o passo além e dentro do seu próprio quintal - fruto alheio a todo mal!

Janelas são clareiras habilitando a vida praquilo que merece o zelo. Praquilo que carece tantas vezes de acolher o pranto, quando necessário. Portal do livre arbítrio é só pra quem (es)colhe junto e que sabe bem o quanto vale um ris(c)o. Clareira de um ventre maduro, pronto. Pro todo dia acontecer sem medo. Pra um abrigo seguro amadurecer sua luz bem vinda por entre as frestas da janela, em qualquer estação.


           [há uma direção frutificando em nossos quintais, varais e varais de esperas férteis]


Um choro de chuva feliz aromatizada de capim.
Uma paz sem dogmas e gestos perfumados.
Um coração que a(cal)ma, que cuida.
Que veio pra ficar.

│ Samara Bassi │

The Unfeeling Kiss by Gabriel Yared on Grooveshark

3 comentários:

Tallita Monteiro disse...

Essa esperança em dias melhores, em amores vivenciados é tudo que encanta a alma, que a tira pra dançar e a embala com novas e melhores histórias!!! bjsss flor

Crônicas de Areia disse...

Não há vitória sem risco, mas nem todo risco precisa ser desmedido. Para isso, deixou-se ao homem o tal "bom senso". No entanto, tem mais vitórias aquele que arrisca mais, sem nunca descuidar de se preservar ou, ainda mais, preservar seus próximos.

Valores são mutáveis, mas nunca descartáveis. A simplicidade e a tolerância, juntamente com a humildade, são professores diários e pacientes. Somos bons alunos?

A seda toca suave o rosto, mas fico com o algodão, que aquece "bem quentinho" no inverno. E é no pé do fogão a lenha que recosto teus pés junto aos meus. Dividimos, literalmente, o calor que nos aquece, para somarmos, depois, toda essa temperatura corporal num abraço só nosso. Dividimos primeiro para somarmos depois. E esse "depois" não é composto só de um abraço. Ele é toda uma preparação para o que vem numa vida adiante, de composições só nossas.

Esta frase é pra você, Samara, já que você gostou dela:
"...não há estação para menos ou para mais. Todas são floridas, seja no jardim ou na estampa dos cobertores...". E cada um tem o frio proporcional aos seus dias, pois não é o frio, mas sim a preparação que você faz para enfrentá-lo.

Clara é a vontade de eternizar nossas sementes. Clara é a certeza de que essa vontade vingará. Clara é imagem que faço de teu olhar, tão estampado em mim.

Clareira de estrelas num céu de nuvens de chuva. É teu sorriso indicando dias de agosto que estão chegando.

Que lindo, Sam. Te ler é esse "encanto". Amo.

Marcio.

Toninho disse...

Clareou tudo num dia que o Céu deu de entristecer com lágrimas compridas.
Muito lindo e estimulador estar sob esta clareira renovadora.
Meu carinhoso abraço menina.
Bjo de luz e paz.

Copyright - Quintal de Om © 2012 - 2017. All Rights Reserved to Samara Bassi.