29.6.13

Para o meu menino

29.6.13
Um absurdo sempre escorre pelo vão do dia, menino, quando há turbulências na porta de casa.
Mas escute com o mesmo silêncio bonito da sua infância, todas as vezes que te gritaram pedras pontiagudas e te feriram, sem você nem suspeitar. Não se importe mais. Não suporte cargas demais de outras vidas na palma das tuas mãos pequenas e tão hábeis de colorir com giz, o asfalto trincado e cobrir de flores a terra dos jardins.
Há flores secas no beiral da tua janela e não houve tempo de substituí-las. Tampouco de apreciá-las. Mas entenda que é assim mesmo que os canteiros vão murchando aos poucos: enquanto a gente nem se desvencilha do ontem, nem do anteontem.
Apenas regue um pé de verso no dia a dia, acarinhe uma muda de fé no teu canteiro. E (en)cante, sempre que quiser chorar, menino. Sempre e sem saber por quê.

│ Samara Bassi │

Estrela by Gilberto Gil on Grooveshark

2 comentários:

Crônicas de Areia disse...

Quando o sol vira lua, ou quando o caminho vira rua, é porque a mudança é natural e necessária.

Existirão vezes em que o sorriso virará lágrima, ou que a música se fará silêncio. É assim. Tudo muda.

Mas, lembre que se algo muda para pior, mais tarde também pode mudar para melhor. Será então que no silêncio se escutará uma linda nota musical, e aquela lágrima não deixará de existir. Elá terá, sim, um significado diferente.

Não existem apenas lágrimas de tristeza, lembra? Lágrimas também acompanham os sorrisos. E se andam juntos, lágrimas e sorrisos, é porque tudo aquilo que foi visto e sentido fez bem ao espírito a ponto dos olhos precisarem rir em conjunto com a boca.

O amargo existe porque nem só do doce vive o homem. E creia, muitas pessoas apreciam outros gostos além daqueles adocicados. Então, quando a vida estiver um tanto amarga, faz de conta que ela tá com gosto de suco de cajú. E eu adoro suco de cajú.

Ah! Se assusta com a noite, não. Não esqueça que para amainar a escuridão, Deus inventou as estrelas.

Sam, menina que eu adoro. Lindas palavras. São de fazer um afago na alma. Amo teu jeito de escrever.

Bjs, mocinha.

Marcio

Denise disse...

Li você, Sam... e um tremor sacudiu meus sentidos - sentei-me um bocadinho diante da própria infância... um soluço, e, num piscar de olhos, gotas de saudade escorreram, livres, cansadas... mas isso tem a ver também com meu dia doído...

Depois, Marcio acalenta vc.... ou a mim, não sei bem, com esta bem lembrada verdade de que o sorriso que acompanha as lágrimas as tornam felizes...

Que dupla vcs formam, saio daqui mais leve, carregando comigo essa doce alegria de ler aos dois!

Bjos, um pra cada coração!

Copyright - Quintal de Om © 2012 - 2017. All Rights Reserved to Samara Bassi.