23.6.13

Eco

23.6.13

Pois é diante da leveza mesmo que abrimos portas, que desp(ed)imos das vestes pesadas, o nosso corpo de pássaro - livre.

│ Samara Bassi │

2 comentários:

Crônicas de Areia disse...

Medite teus dias como as ondas meditam o vento. Elas esperam sempre pelo momento de se erguer, e junto ao vento, não há esforço impossível de se conseguir.
Altivas e poderosas, as ondas quebram belas e vivas na praia, retornando ao mar para, novamente com a ajuda do vento, se re-erguerem. Sabem elas que sem a ajuda do vento, tal esforço seria (o de se levantar) seria quase impossível.
Assim somos nós. Buscamos a brisa para nos tornarmos leves, e ansiosos que somos, por vezes não sabemos esperar pelo vento.
É na tua leveza que tua graça aparece, menina. Voa livre, voa.

Que belo, Sam. Cada dia mais inspirada e inspiradora.
Bjs, menina.

Marcio.

Augusta Martins disse...

Tudo muito lindo...parabéns...bjs
Augusta

Copyright - Quintal de Om © 2012 - 2017. All Rights Reserved to Samara Bassi.