7.3.13

Vasto coração

7.3.13
aos meus amigos, não tão virtuais assim...

Imagem: Darla Winn
Era Céu de Abril entardecido e com Passarinhos no Telhado, Rosane Marega  já (pres)sentia aquela anunciação bela e simples tal qual fosse um Jornal das Pequenas Coisas.

Desembrulhou alguns dos seus Sorrisos Pré-Fabricados que há vidas guardava em sua Caixa Mágica como se fosse um Pedacinho do Céu,  Costurando Estrelas e aproximando Entrelinhas.


Já não era mais menina e já fazia tempo que vinha conquistando Um lugar ao sol, perto do vento
A vida era Simples Assim, como Cativar & Cultivar.

Menina com Coração de Pássaro, colecionava Eucaliptos na Janela e sabia, muito Antes do Crescente, ainda reconhecer nas suas lembranças os ensinamentos do seu Pequeno Caminho - Um Lugar Azul que, De Uma Forma ou de Outra, seus pais lhe ensinaram a respingar no dia a dia, a partilha de tantos anos; ora doces, ora amargos... Mas o principal era o de não esquecer em trilhá-los, quase sempre, com Uma Estrela na Mão.


Para ela, as Inter[in]venções dos sábios era um tesouro guardado nos olhos, mesmo que repleto de Instantâneos e que, de tão precioso, era preciso muito mais que um mundo inteiro para extingui-lo. Era preciso ainda, Acolher com Amor cada gesto brotado em meio a todo Amor e Caos.


Afinal, Das Palavras que Nos Unem, Quem tem Medo de Brincar de Amor?


Professora de canto e poesia, criava tanta Pô ética  e bonitezas Nas Mãos do Oleiro: aquele Mineirinho querido que sempre se distraia enquanto a via compôr o seu  Alinhavo de Cores que, tornava sua realidade uma forma mais leve de encarar o seu próprio e às vezes cadente, Entre Outonos.


Sim, sim. Que Seja leve!


Havia uma aparente estranheza, (talvez fosse mania de fazer Em Teus Versos, um mundo paralelo ao de Parole) em suas escrevências e que olhares alheios pouco compreendiam. Era mais vista como uma Roda Viva, delirando em seu próprio eixo que alguém provido de Sutilezas de Alma e Mente.


Costumava guardar confetes nas mãos enquanto perambulava nas ruas, com seus olhos atentos, procurando meios de Tecer Palavras, resquícios de Versos de Luz e Encantaventos tal qual brincadeira tardia de voltar aos seus pueris 10 anos, Na Varanda.


Não sabia se contentar nem com seus rabiscos, jogados e amassados em cima da cama, nem com a sua impulsividade crônica. Saia todas as tardes como quem se desprende do ninho e desaprende o caminho, buscando qualquer brecha de absorver do mundo a sua Versorragia e,  qualquer meio menos trágico de Recomeçar.


Em seu íntimo Across The Universe, buscou com calma A alma e a Rosa que se escondia por tantos espaços maltratados da cidade, como sendo essa uma forma branda de sentir-se desvencilhada Do Lado de Cá  e  que sempre existiu no íntimo das mesquinharias e das coisas que não acrescentam nada – nem nessa terra de passos largos e empoeirados, nem Além das Nuvens.



[E enquanto tantos de nós passarmos inquietos, indiferentes e alheios às simplicidades grandiosas das pequenas coisas, não estaremos caminhando por Entre Pássaros e Flores.]


Ao contrário da pequena grande mulher que, diante da pequena beleza que sua retina descortinou,  mergulhou nas formas, cores e gravou para além do seu sentir, a Photopoesia daquele instante breve num movimento apenas leve e incomparável, muito antes do seu Before Sunrise, toda a complexidade sustentável e apesar da aparente pequenez, completa.


- De todas as Confissões Sobre Minhas Memórias Esquecidas, desconfio que Eu Só Sou Quando Deixei De Ser. E entenda, a gente não deve deixar de ser nunca nessa vida, nem por nada nem por ninguém.

Resmungou baixinho, fazendo uma pausa no respirar da dor em meio à sua tamanha e incompreendida Nudez Poética.

Foi uma sensação de “Dispa-Me” , uma viagem em que A Barca dos Amantes, era mais que um ancorar o riso entre o que é bonito aos olhos e o que é verdade ao coração.

Percebeu In Foco o cair da noite. Voltou ao seu recanto onde as diferenças são pintadas em aquarela, ritmadas  como notas de piano e escritas na palma das mãos dos seus mais bonitos presentes.

Sentou-se na cadeira, alisando o vestido florido de Sonhos e Encantos por entre as pernas e fechou sua caixa de música, com gestos lentos que a conduziu a recolorir antigas histórias que um dia uma amiga lhe contou com certa alegria no olhar e no riso, quando confessou:


- Sinto Muito! mas Comigo, carrego somente as Violetas que Plantei . Escrevendo e Semeando eu vou, Vestida de Saudade, transformando Pétalas de Uma Flor em Mim em Interioridades e Em Cada Cor Diferente que Tente Me Clarear. Do Meu jeito!


De imediato o seu íntimo retrucou:

- Eu também! Sigo Palavras e Busco Estrelas e já que é assim, A Gente Podia Se Ver no Ar. Afinal, É Pelo Sonho que Vamos!

Foi então que desprendeu um verso dormido nos lábios e outro no coração ao abrir o Diário de Um Ano Bom e relendo os seus Quinze Contos Mais, sorriu lembrando e fechando os olhos: Ah, esses Versos deLírios!

Ali continha seus Fragmentos, a sua tecedura e toda a sua colorida mania de acreditar nas verdades do seu vasto coração, Além do Quintal.
E coisas do coração, minha gente, são Estrelas da Nossa Vida pinceladas em Papel de Seda que toda a sua capacidade insistia e teimava em sempre poder TransFLORmar-la ... em uma boniteza sempre maior e mais sábia.
_______________________
*re-editado.
Pelo motivo de serem tantos, os meus amigos queridos, peço desculpas àqueles que por ventura não se apresentam nesta lista, por esquecimento meu ou por outros fatores. Deixo-os saberem de que não são menos importantes, nem menos queridos e que o meu carinho e reciprocidade são imensos à todos vocês que me rodeiam e moram aqui desse lado do peito - o de dentro.

│ Samara Bassi │
Pra  hoje: 
Bem da vida by Vanessa da Mata on Grooveshark

30 comentários:

Celêdian Assis disse...

Minha doce menina poetamiga, Sam, é de gestos assim, de afagos assim que a nossa alma se nutre e se revigora e que faz com que ela saia por aqui, como pássaro voando feliz. Obrigada minha linda por este carinho.
beijo na sua alma
Celêdian

zilmar demazi disse...

doce Sam,coisa mais linda de ler...

vc usa as palavras de um jeito singular...

é surpreendente em cada composição...

amei!!!!

um grd e afetuoso abraço...meu carinho...amizade...sempre!

Zil

PS:obrigada!!!

marlene edir severino disse...

Doçuras de Sam!
Doces delicadezas
o melhor dos doces de derreter na boca...

Deixa um gosto de "quero mais"!

Grata, querida!

Beijos, beijos...

tonholiveira disse...



Infelizmente,
andamos nos afastando, parte por "culpa do facebook"...

Os Blogs estão agonizando...

"penSAMos parecidos,
mas que bom que somos diferentes, di.versos penSAMentos, nem sempre sãos, mas válidos e so(a)mamos uns aos outros, pena que só virtualmente, a maioria..."

Obrigado pela parte que me coube neste "latifúndio poético"!

Be:)o!

Noslen ed azuos disse...

é um prazer estar neste mosaico de poesias 'onde quando o sentir' transpassa as dimensões num ponto de encontro nos corações!

obrigado querida poetisa!
ns

Filha do Rei disse...

Samara, fiquei simplesmente encantada,emocionada.Obrigada pelo carinhoooo.
Bjs

Entre Pássaros e Flores disse...

Venho através deste deixar meu simples obrigada por tanta sofisticação e beleza...muito, MUITO OBRIGADA!!!

Audrey Andrade disse...

Samara, que presente mais lindo você ofereceu!!! Estou emocionada e muito, muito feliz em ser uma amiga (mesmo que virtual) lembrada por por uma poetisa tão encantadora!

Estou lisonjeada por esse carinho! Muto obrigada por oferecer a nós, seu seguidores, tanta beleza sempre!

Meu carinho, respeito e admiração!

Audrey.

Sheila do Blog Passarinhos no Telhado disse...

Que lindo! Que delicadeza!!!
Grata por lembrar de mim...
bjs :)

Jeferson Diaz disse...

Olá Samara

Simplesmente lindo !! Sinto bem mais que o abraço, um toque de emoção no coração. Salvando aqui ... Quero visitar todos os blogs amigos, amo tudo isso !!

Abençoada noite pra ti
__bjO

Nilza Amadeu disse...

Sam,
Quanta delicadeza!!!!
Muito obrigada!!!! São esses pequenos mimos que nos ajuda muitas vezes em horas difíceis e olha que chegou numa hora muito oportuna.
Grande beijo.
Nilza

Isa E. disse...

Sam,
Você me deixou sem voz...
E o meu coração comovido agradece a oportunidade de conhecer a beleza de uma alma tão doce e delicada como a sua.
Somos apenas amigas virtuais? Não...Não consigo transformar em virtual esse sentimento tão real para mim. Eu sou apenas coração.

Um beijo, com muitas flores e estrelas.

Daniela Delias disse...

Sam, que honra estar entre os teus!!!

Amei, amei o texto!

Muitos beijos,

Dani

Will disse...

Ahhh... Sam.

Tua criatividade não tem limites como limites não existem para os dons, no teu caso de palavrear de forma agradável com sensibilidade.

Adorável e memorável homenagem a quem admira e participa de teu espaço tão maravilhoso.

Um abraço apertado, pelo texto e por teu dia, hoje!

Daiana M.Fernandes disse...

Que delicadeza mais linda! Amei o texto! Amei passear por "linhas" do teu coração e está em uma delas! Obrigada!

Um terno abraço

Lou Vilela disse...

Quanta delicadeza, Samara! Gesto singular. Feliz de estar entre tantos queridos, de poder admirar tuas relíquias. Beijo

ValCruz disse...

Sua danadinha em? Assim nós (num guenta) Sam! :) Amo-te criatura!


<3

Teresa Cristina Martins disse...

Sam, um encontro de almas acontece assim, no universo, você é uma dessas almas floridas que com seus versos aquecem o coração da gente!! Adorei!! Um grande e forte abraço!!!

Maiara disse...

Muito obrigada por esse carinho. Essa doçura que você nos presenteou através de palavras. Nada melhor que isso.

Um beijo grande. :*

Maiara disse...

Muito obrigada por esse carinho. Essa doçura presenteada através de palavras.

Um beijo grande. :*

Fernanda e Leonardo disse...

Muita criatividade unir todos os blogs num só texto de forma tão poética. Estive fora deste universo durante um bom tempo por conta da minha monografia, mas tô de volta rs

Obrigada pelo carinho. É uma honra estar dentre tantos.

Fernanda

AC disse...

Saber dar também é isto: envolver palavras em carinho e soltá-las por aí...
Muito belo, obrigado!

Beijo :)

A primeira estrela disse...

Nossa, que homenagem bonita!Sábio modo de organizar as palavras.Ainda estou toda arrepiada.
Obrigada por nos dar o prazer de ler seus belos pensamentos.
Beijos e luz.

Parole disse...

Que lindo, Samara! Obrigada por me incluir em tão delicada homenagem. Encantada...

Beijinhos e uma linda semana.

Sérgio Medeiros disse...

Ficou um mosaico interessante de lugares :-)

Déborah Arruda. disse...

Sam, que lindo carinho. Você é uma queridona!
Beijo grande!

Be Lins disse...

Que lindeza, Sam!
fico muito lisonjeada de ter o blog citado numa poesia tão repleta de amizades.

Meu pai sempre dizia que tem um monte de tipo de gente, e entre toda essa gente, aquelas pessoas que têm o dom de aproximar, agrupar, fazer a festa acontecer. Vejo esse dom em você.

Beijo,
e muito grata pelo carinho!

Helena Frenzel disse...

Muito criativo, adorei! Em tempo: muito obrigada pelo carinho, quanto mais reviro suas letras mais me encanto com tamanha sensibilidade em flor. Um beijo na alma multicor, Bluemaedel.

Karla Thayse Mendes disse...

Nossa, quanta doçura!

Eu amo esse teu cantinho, sinto-me tão bem aqui...

Venho retribuir o carinho que você sempre deixa lá no blog, é uma alegria te receber por lá flor!

Beijo e abraço apertado

André disse...

Querida Samara,

perdoe-me o longo atraso mas só hoje é que vi o link para este presente que você deixou no seu comentário há quatro meses atrás.

Estou sumido das letras, minha amiga, mas nem por isso insensível a esse tão belo texto com que você brindou a seus amigos "não tão virtuais assim".

Um texto muito original no qual cada presenteado reconhecerá facilmente o carinhoso registro que você fez ao citar o nome dessa pessoa. E, como sempre, acompanhado dessa doçura e sabedoria típicas dessa cronista que brilha em um céu repleto das estrelas de tantos amigos.

Muito obrigado, Samara, sua doce e tão original homenagem tocou-me a alma e o coração. Seja feliz e continue sempre nos dando a graça de suas tão belas letras.

Um abraço com carinho do

André

Copyright - Quintal de Om © 2012 - 2017. All Rights Reserved to Samara Bassi.