15.12.12

Flamboiã

15.12.12
Google
Parece-me um Flamboiã, um arrebol da manhã colorindo a íris desse encanto sem pranto e, mesmo que o meu dia e cada abraço seja pela metade em todos os meus passos postados no rodapé daquela calçada aquarelada; faça das minhas muitas e mesmas manhãs essa imensidão dispersa, decorada e ancorada de Deus(es). 
Saiba caber num instante qualquer, na minha retina, na âncora das minhas mãos. Saiba que assim é que eu me derramo inteira. Sem beira nem eira.
Me guarde em suas rezas todas as minhas esperas, meu bonito Flamboiã.
E naquele falsete sussurrado de passarinhos que logo me ancoram qualquer resquício de sol e sorriso, deito-me nessa cama de flores, os meus amores todos e, mesmo que sejam metades, que sejam amarelos, coloridos de qualquer cor e preenchidos de qualquer amor... que a metade seja sempre   uma inteireza que complete a gente.

│ Samara Bassi │

2 comentários:

Vivian disse...

...fecha os olhos que eu
vou beijar tua alma
com amor e encantamento!

smacksssssssssssss, riqueza!!

A primeira estrela disse...

Que suas palavras continuem sendo lindas e concisas como a presença de um flamboyant!
Belo lugar.Em homenagem a querida Hilda e ao seu bom gosto e delicadeza, tô te seguindo. ;)
beijo na alma=*

Copyright - Quintal de Om © 2012 - 2017. All Rights Reserved to Samara Bassi.