17.7.12

Sina

17.7.12
Imagem:  Bald Headed Pictures
E como se fosse onda, ancorou-se nos dias e acreditando ser semente, desmentiu a força estranha que a encobria e como se fosse terra, desenterrou segredos sem (a)guardar (re)começos e como se fosse o fim, germinou nos nervos, sua estranheza pele em flor.

                                              │Samara Bassi

2 comentários:

Isa E. disse...

Vim pelo nome do seu blogue. Mas vou voltar pelos belíssimos textos que encontrei. Gostei muito!
Um abraço!

Crônicas de Areia disse...

Toda canção precisa de um título para ser completa,
todo caminho merece um destino antes de ser começado,
e toda existência necessita de uma razão de ser.
O viver, o correr pelos campos,
o plantio do trigo, o vento desinibido,
o abrigo da chuva, a dor nos pés...
...o revés,
tudo está em nós, e ao mesmo tempo,
tudo há que ser aprendido.
Aprendido, mas não apreendido.
E se cair, levanta,
chora se assim for preciso,
mas levanta.
Porém, entenda que muito mais importante do que se erguer nas pernas,
é erguer o olhar.


Olá, Sam. Perdão por eu ficar por aqui, filosofando, mas tudo teu quintal é um universo inteiro de conhecimento para mim.
Bjs, mocinha.

Marcio

Copyright - Quintal de Om © 2012 - 2017. All Rights Reserved to Samara Bassi.